banner-dpedroII copiar.png
ESTUDANTE_Capa_D.PedroII_FINAL.jpg

D. Pedro II: a história não contada

O último imperador do Novo Mundo revelado por cartas e documentos inéditos

​​

Autor: Paulo Rezzutti

Gênero: Biografia​

Temas: Projetos de vida; Inquietações da juventude; Protagonismo juvenil; Cidadania; Diálogos com a sociologia e com a antropologia​

Código: 0187L21611

Sobre o livro

​​

A nossa editora e os seus profissionais, já há alguns anos, se dedicam a organizar e a participar de muitos fóruns para aprender com professoras e professores a melhor maneira de prepararmos o nosso livro para ser aplicado em sala de aula. Em muitas dessas oportunidades vimos educadores destacarem o quanto as biografias e os relatos de vida apoiam as práticas do ensino. O estudante se sente diretamente representado e aberto ao processo de aprendizado pela empatia, pois pessoas como ele, que cumprem uma trajetória de aprendizado, desafios, superação se apresentam como exemplos. Os educadores afirmam, objetivamente, “sim, é possível”, seja tal feito, tal conquista, tal aprendizado, superação. Enfim, a vida se apresenta, objetivamente, como escola. E sabemos que tal aprendizado pela biografia ganha ainda mais relevância quando apresentamos biografias de cidadãos comuns que se destacam.

No entanto, há figuras históricas que participaram dos centros decisórios de determinados países, instituições ou épocas que ganham imensa relevância. Não estamos querendo escrever aqui a história sob o ponto de vista das elites e/ou lideranças. Ao contrário, podemos afirmar que, mesmo o nosso jovem país tem, por exemplo, mais presidentes da República que nos fogem à lembrança por algum exemplo de vida ou grande feito do que o contrário, não? Queremos destacar nesse estudo biográfico o homem, o humano por trás dessa grande personalidade.

Evidentemente, muito da história do Brasil será aprendida pela biografia de d. Pedro II, o nosso mais longevo governante. No entanto, o que o livro de Paulo Rezzutti nos revela é o tanto do homem que moldou o imperador e o seu governo.

Nesse livro, uma característica relevante a ser investigada pelos alunos em sala de aula é que o nosso autor, Paulo Rezzutti, recuperou o homem d. Pedro II a partir da localização e pesquisa das fontes primárias, ou seja, dos documentos gerados pelo próprio d. Pedro II e por seus interlocutores e instituições da época. Qual estudante não poderá perceber, numa atividade de classe, que muito da sua geração é revelado através do levantamento e estudo dos textos, mensagens, posts das mídias sociais de hoje? No futuro, os estudiosos poderão perceber como falamos, sobre o que falamos e para quem falamos a partir do acervo documental que geramos na rede. Em igual medida, os nossos futuros investigadores perceberão o que mais nos importava, qual eram os nossos anseios, valores, metas, padrões, frustrações, vícios e virtudes.

Pois, então, a mesma investigação foi realizada por Paulo Rezzutti sobre a vida de d. Pedro II e, ao percebermos muitos dos vícios e virtudes do nosso imperador, descobrimos muitas das nossas características históricas que nos formaram enquanto nação. 

D. Pedro II era um homem apaixonado pelo conhecimento. Ele compreendia o estudo, além de fundamental à formação das pessoas e nações, como uma experiência de deslumbramento. Acompanhar os avanços do conhecimento, ser capaz de entender os processos e as relações em cada descoberta e em cada disciplina motivava o nosso imperador. Não por acaso, d. Pedro II viveu num momento de grande transformação científica e tecnológica, logo, ele é um homem do seu tempo, fascinado pelas conquistas da sua geração. Quando Graham Bell apresentou a sua invenção ao mundo, d. Pedro II estava lá para apoiá-lo e, em pouco tempo, o telefone e as primeiras linhas telefônicas chegavam ao Brasil e as nossas cidades iniciavam os projetos de instalação dessas linhas e o imperador tinha certeza de que já éramos o país do futuro. O nosso imperador dirigiu o mesmo apoio entusiasmado à fotografia e o Brasil de sua época contava com um acervo fotográfico, e com a prática do registro documental, como poucas capitais da Europa.

D. Pedro II foi ainda um governante preocupado com a integração nacional, com a construção de vias de acesso e comunicação por todo o nosso imenso país. Da mesma forma, a escravidão o envergonhava. No entanto, d. Pedro II foi mesmo um homem da sua época e a sua biografia também revela os limites que enfrentou e tantos outros que nem teve clareza para vislumbrar e vencer. O governo d. Pedro II não conseguiu romper o modelo econômico de uma agricultura extrativista e em monocultura, integralmente apoiada em mão escravizada. Da mesma forma, não consolidou o ensino público pelo país.

A biografia de d. Pedro II nos revela muito de nosso passado e nos apresenta os temas mais relevantes e ainda atuais para serem debatidos acerca da construção do nosso país. Da mesma forma, nos dá a dimensão da importância de cada existência, de cada cidadão na formulação e manutenção do pacto social.

Temáticas abordadas neste livro

​​

  • História social e biografias

  • Construção e identidade nacional

  • Projeto de país

  • Monarquia

  • República e democracia

  • Projeto de Integração Nacional

  • Racismo estrutural e escravidão

  • Educação brasileira

 
site-banner copiar.png

AOS EDUCADORES

Gostaríamos de parabenizar e agradecer a todos pela tarefa magna e fundamental que vocês desempenham, nesse nosso país, com enorme dedicação, formando cidadãos brasileiros conscientes, pensantes e atuantes na construção de uma sociedade mais justa, igualitária, democrática e próspera.