banner-dpedro copiar.png
PROF_CAPA_D. Pedro_FINAL.jpg

D. Pedro: a história não contada

O homem revelado por cartas e documentos inéditos

​​

Autor: Paulo Rezzutti

Gênero: Biografia​

Temas: Projetos de vida; Inquietações da juventude; Protagonismo juvenil; Cidadania; Diálogos com a sociologia e com a antropologia​

Código: 0186L21611

Sobre o livro

​​

Os educadores já sabem e têm nos ensinado o quanto as biografias nos formam, não só como exemplos de vida e superação, nos tornando pessoas e cidadãos melhores, mas sobre a história dos povos e países em determinadas épocas.

Neste livro de Paulo Rezzutti os educadores poderão guiar os seus alunos pela história do Brasil, a partir do momento em que o nosso país começa a emergir no panorama mundial, com a transferência da Corte, através do olhar de Pedro, o menino português que chegou aqui, aos nove anos de idade, fugindo às pressas de sua terra natal, sem nada saber do lugar para onde estava indo.

O menino Pedro fica deslumbrado pelo país que é seu por herança e se entrega à exploração livre de sua natureza, de sua gente e de seus costumes. Quando fugiu de Portugal junto com a família, ele interrompeu também os estudos que lá fazia para se formar como o monarca que um dia assumiria o trono daquele país. Na Corte portuguesa, apesar de sua natural agitação e da epilepsia de que sofria, Pedro cumpria uma rotina de estudos e preparação para essa tarefa. A viagem para o longínquo continente e a falta de rotina da incipiente “Corte brasileira” deu ao menino a liberdade que era adequada ao seu espírito e que convinha à percepção que ele tinha do ambiente à sua volta. Pedro se via absolutamente integrado à natureza brasileira, feroz, expansiva, indomável, imprevisível, múltipla, incontrolável. O olhar do menino Pedro explica muito desse Brasil emergente: um Novo Mundo deslumbrando e confrontando o Velho Mundo. Muitas respostas e modelos da Corte europeia eram inadequados à colônia. Os desafios e desconhecimentos constantes, a falta de preparo, as novidades e a escassez escrevem a história da nossa Corte.

Como o menino Pedro, o Brasil também foi crescendo de maneira livre e um tanto desordenada, sem um projeto específico de país, resolvendo, ou não, os problemas à medida que eles se apresentavam. A colônia vira a capital do Império e, o que parece ser uma boa notícia, nos mostra a face daqueles que nada querem deixar por aqui, pois não veem o Brasil como casa, como futuro.

A leitura da biografia de d. Pedro I, que chega aqui apenas Pedro, se coroa o Primeiro Imperador do Brasil após proclamar a nossa independência do seu próprio país de origem e nos abandona para voltar a ser d. Pedro IV, na sucessão de seu pai, em Portugal, nos apresenta um sem-número de reflexões em sala de aula. 

Como o autor escreve o seu livro a partir da recuperação das cartas e dos documentos da época, a língua portuguesa e o tanto que ela é viva, em suas muitas mutações através do tempo, é um dos objetos de estudo apresentados por este livro.

Da mesma forma, as relações humanas reveladas pelas cartas, nos apresentam toda a formalidade e o protocolo exigidos, na época, na manifestação dos afetos, paixões, traições, conspirações e todo a sorte de emoções e sentimentos, nos dando um enorme acervo de informações para debatermos as grandes mudanças das relações interpessoais através do tempo. Esse debate pode ser acrescido, ainda, dos impactos que as tecnologias trouxeram à informação e, com isso, o impacto que o ritmo das informações impuseram às mudanças históricas: a entrega de uma carta, por exemplo, com um ultimato dado por um país a outro poderia demorar 6 meses ou mais. Realmente, a vida tinha outro ritmo.

 

Outro exercício interessante à análise da sala de aula é percebermos o homem por trás do estadista. Na vida dos monarcas a pessoa nasce “a sua profissão” e é a sua profissão que molda a sua vida, sem que a pessoa tenha qualquer oportunidade de ir aprendendo e percebendo, dia após dia, a sua vocação, a projeção do seu futuro profissional. O livro de Paulo Rezzutti proporciona, aos estudantes do Ensino Médio, uma bela reflexão acerca da relação entre a biografia e os caminhos profissionais.

Temáticas abordadas neste livro

​​

  • História social e biografias

  • Construção e identidade nacional

  • Projeto de país

  • Monarquia, República e democracia

  • Racismo estrutural e escravidão

  • Desigualdades sociais​

 
site-banner copiar.png

AOS EDUCADORES

Gostaríamos de parabenizar e agradecer a todos pela tarefa magna e fundamental que vocês desempenham, nesse nosso país, com enorme dedicação, formando cidadãos brasileiros conscientes, pensantes e atuantes na construção de uma sociedade mais justa, igualitária, democrática e próspera.